DSCF2066
DSCF2069
DSCF2108
DSCF2109
casacata1
cascata
entrada
hall
Últimas notícias de economia, política, carros, emprego, educação, ciência, saúde, cultura do Brasil e do mundo. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.
  • Suspeito de matar aposentado do TRT no DF, a mando de viúva, é preso no Pará

    Crime, em Taguatinga, ocorreu em março. Segundo polícia, Elizângela Almeida de Miranda e José Willamy de Melo Raiol queriam ficar com pensão da vítima. Elizângel e Willamy são suspeitos de assassinar servidor aposentado do TRT do DF Arquivo Pessoal Policiais da 17ª Delegacia de Polícia do Distrito Federal prenderam nesta quarta-feira (17), em uma favela de Belém, no Pará, José Willamy de Melo Raiol, suspeito de ter assassinado o aposentado pelo Tribunal Regional do Trabalho do Distrito Federal (TRT), Valdeci Carlos de Sousa, em março deste ano, em Taguatinga, no DF. De acordo com as investigações, Willamy, de 26 anos, era amante da viúva do aposentado, Elizângela Almeida de Miranda, de 43 anos. Os dois teriam tramado a morte do servidor público, de 63 anos, para ficar com a pensão da vítima e sacar o dinheiro das contas dele. . Elizângela foi presa, preventivamente, logo após o crime. Willamy estava foragido e deve ser trazido de Belém para Brasília ainda nesta sexta-feira (19). De acordo com os policiais da 17ª DP, desde então os investigadores seguiam pistas do suspeito e há varios dias tentavam prendê-lo, na favela Paracuri III, que fica próximo de Belém. A região é dominada por uma facção criminosa e os policiais do DF tiveram apoio da Delegacia de Homicídios do Pará. Favela onde suspeito foi preso, em Belém, no Pará Polícia Civil do DF O crime Valdeci Carlos de Sousa, de 63 anos, era funcionário público aposentado pelo Tribunal Regional do Trabalho do Distrito Federal (TRT). Ele e Elisângela estavam separados há cerca de seis meses e, de acordo com as investigações, o casal ainda não havia entrado com o pedido de divórcio. Uma promessa de reaproximação foi usada como armadilha para a vítima, afirmam os policiais. A dupla também roubou celular, dinheiro e outros objetos do aposentado. De acordo com a polícia, na noite de domingo, 18 de março, Elizângela ligou para o ex-marido e o convidou para a ir até a casa dela, em Taguatinga Norte. O encontro seria para que conversassem sobre o relacionamento. Ao chegar no local, Sousa foi amarrado por Elizângela e Willamy. Ainda segundo os investigadores, a mulher levou a caminhonete da vítima para dentro do terreno e, com a ajuda do amante, colocou o aposentado no banco de trás. O inquérito afirma que Willamyl torturou o aposentado enquanto circulavam com o carro pelas vias do DF. Eles queriam as senhas bancárias dele. Na DF 001, altura de Santa Maria, o casal decidiu matar Sousa com um tiro na cabeça. Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.
  • Vereador acusa colega de parlamento de agredi-lo durante reunião e caso vai parar na delegacia de Cruzeiro do Sul

    Ronaldo Onofre (PDT) afirma que foi agredido fisicamente pelo vereador Marivaldo Figueiredo (PP). Caso foi parar na delegacia. O vereador Ronaldo Onofre (PP) prestou queixa na delegacia de Cruzeiro do Sul, interior do Acre, contra o vereador Marivaldo Figueiredo (PP) Mazinho Rogério/G1 O vereador Ronaldo Onofre (PP) prestou queixa na delegacia de Cruzeiro do Sul, interior do Acre, contra o vereador Marivaldo Figueiredo (PP), por acusações de agressão física que teria sofrido durante uma reunião, nesta sexta-feira (19), no gabinete do prefeito. Figueiredo é da base de apoio do prefeito Ilderlei Cordeiro e teria ficado revoltado quando o vereador Onofre se posicionou contra a demissão de servidores municipais e o anúncio da cobrança de taxas para a coleta de lixo. A reunião foi convocada pelo prefeito com a finalidade de explicar aos vereadores sobre os motivos da demissão de 200 servidores provisórios da prefeitura. Além dos que já foram demitidos, o município, que gasta 61% com folha de pagamento, ainda precisa desligar mais 200 trabalhadores para atender a Lei de Responsabilidade Fiscal. Onofre começou a discordar da decisão da prefeitura, o que teria causado a revolta por parte de Figueiredo. “Eu me posicionei sobre essas demissões e sobre as cobranças que o gestor municipal quer criar. Ele quer intensificar cobranças de taxas de limpeza pública e multas e isso eu não concordo. De repente, ele partiu pra cima e já foi me enforcando. Eu não sei o motivo”, acusa Onofre que foi à delegacia às 12h desta sexta para fazer a denúncia. De acordo com Onofre, foi preciso a intervenção do presidente da Câmara, Romário Tavares, e de outros vereadores para conter os ânimos do colega de parlamento. O vereador afirma ainda que já teria sido ameaçado de agressão outra vez. Durante uma sessão, em abril deste ano, os dois parlamentares teriam se desentendido na tribuna e, de acordo com Onofre, Figueiredo teria tentando agredi-lo e foi contido por seguranças. “Inclusive ele disse que se me visse na rua, ia brigar comigo. Mas, eu não sou um homem de violência. Sou uma pessoa de uma cultura diferente”, disse Onofre. O vereador Marivaldo Figueiredo nega que não teria chegado a vias de fato, mas, afirma que se defendeu de acusações feitas por Onofre. “As acusações do vereador são levianas. Já não é a primeira vez que acusa que eu o agrido. Ele tem esse negócio e nunca provou que houve agressão. Ele gosta muito é de inventar. Eu jamais agredi o vereador Ronaldo fisicamente. O que ele faz é me agredir verbalmente e eu só me defendo. Ele leva a política para o lado pessoal e se engraçou de mim e sempre está com essa manobras para me prejudicar”, contesta figueiredo. Figueiredo alega que estaria sendo perseguido por Onofre e, por isso, já teriam se desentendido outras vezes. Ele diz também que se sente perseguido pelo colega de parlamento. “O que vejo nele é que, desde o começou do meu mandato, ele não aceita que um cara como eu que vem lá de dentro do povão tenha tido oportunidade. Ele acha que política e ser vereador é só para quem tem condições financeiras altas como ele”, indaga.
  • Polícia Militar faz passeio ciclístico contra as drogas na região sul de Palmas

    Evento será realizado neste sábado (20); inscrição é um quilo de alimento. Evento terá brincadeiras e sorteio de prêmios para as crianças. Passeio ciclístico é organizado pela Polícia Militar PM/Divulgação Os moradores de Palmas poderão participar neste sábado (20) do 2º Passeio Ciclístico Contra as Drogas. O evento será realizado na região sul da capital. O passeio é organizado pelo 6º Batalhão da PM e a concentração será na Escola Municipal Thiago Barbosa, na Aureny II, a partir das 7h30. As inscrições para o evento estão sendo feitas pela internet e custam 1 kg de alimento não perecível. Os 300 primeiros inscritos ganharão a camiseta do evento. De acordo com a organização, os alimentos serão doados para uma entidade filantrópica. O percurso do passeio vai passar pela avenida Tocantins e feira do Aureny I para depois retornar à escola Thiago Barbosa. A saída está prevista para as 8h. A programação também terá brincadeiras e sorteio de prêmios. Participam da ação o conselho tutelar, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Fundesporte, ONG Sonho de Criança e Secretaria Estadual de Educação. Para o comandante do 6º BPM, o evento tem o propósito de mostrar a atividade física como um meio de qualidade de vida e de distanciamento das drogas. "Essa ação visa integrar, envolver e aproximar as instituições da comunidade. Nesse grande desafio social que é o uso e tráfico de drogas", comentou. Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.